Acusadas de matar bebê de seis meses estão na Penitenciária Júlia Maranhão, em João Pessoa

A mãe e a companheira acusadas de espancar e matar um bebê de seis meses em São José de Piranhas, no Sertão da Paraíba, foram transferidas para a Penitenciária Júlia Maranhão, em João Pessoa, na noite de quinta-feira (9). A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado da Administração Penitenciária da Paraíba (Seap-PB), que determinou a transferência imediata para preservar a segurança das suspeitas.

A decisão de transferência foi tomada com base na Lei de Execução Penal, que estabelece o dever do Estado em garantir a integridade física de pessoas em privação de liberdade. A medida foi considerada necessária após episódios de revolta tanto na cadeia local quanto no presídio de Cajazeiras, onde as acusadas foram inicialmente detidas.

As duas suspeitas foram presas em flagrante e levadas para a delegacia de São José de Piranhas, onde foi lavrado o auto de prisão por homicídio qualificado. A mãe da criança, identificada como Fernanda Miguel da Silva, de 19 anos, optou por permanecer em silêncio durante o depoimento. Por outro lado, a companheira, Lilian Alves Romão, de 18 anos, confessou o crime, mas não revelou a motivação.

Após prestarem depoimento, as acusadas foram encaminhadas para a Central de Polícia de Cajazeiras, e posteriormente, devido às circunstâncias de segurança, foram transferidas para a Penitenciária Júlia Maranhão em João Pessoa. O caso continua sob investigação, com a polícia buscando esclarecer todos os detalhes do crime que chocou a comunidade local.

Feliphe Rojas

Feliphe Rojas