Caso Ana Sophia: Prefeitura de Bananeiras exonera do cargo de vice-diretora esposa de suspeito


Criança de desapareceu no distrito de Roma no dia 4 de julho de 2023. Suspeito está desaparecido e a esposa não é considerada suspeita pela Polícia Civil. Ana Sophia desapareceu enquanto brincava perto de casa, na PB Maria das Graças Gomes/Arquivo pessoal A Prefeitura do município de Bananeiras, no Brejo da Paraíba, exonerou do cargo de vice-diretora na Escola Municipal João Paulo II, a esposa de Tiago Fontes Silva Rocha, principal suspeito do desaparecimento da menina Ana Sophia. A criança, de 8 anos, desapareceu no distrito de Roma no dia 4 de julho de 2023. Em nota oficial publicada nas redes sociais da prefeitura, nesta segunda-feira (2), a gestão afirma estar colaborando com as forças policiais desde os primeiros dias de buscas, além de estar ajudando a família de Ana Sophia. A Escola Municipal João Paulo II, inclusive, foi usada como base para as autoridades policiais para alimentação e organização das equipes. De acordo com a nota da prefeitura, a exoneração da vice-diretora foi necessária para o bom andamento dos serviços públicos na escola, após informações divulgadas pela Polícia Civil. Uma perícia constatou que Ana Sophia entrou na casa de Tiago, no dia do desaparecimento, e não foi mais vista após isso. O suspeito está desaparecido e a esposa não é considerada suspeita pela Polícia Civil. "O desejo é reiterado de que a Polícia Civil da Paraíba possa concluir toda a investigação o mais rápido possível para que a justiça da terra seja feita com brevidade", afirma a prefeitura. A portaria de exoneração foi publicada no Diário Oficial do município do dia 1º de outubro de 2023. Protesto por Ana Sophia Família de Ana Sophia pede justiça por desaparecimento da criança Reprodução: TV Paraíba/Pedro Junior Familiares de Ana Sophia e moradores do Distrito de Roma, em Bananeiras, participaram de um protesto na tarde deste sábado (30) e pediram justiça pelo desaparecimento da criança. A caminhada saiu da escola municipal onde a menina estudava antes de desaparecer e percorreu as ruas do distrito. Os manifestantes também protestaram em frente a casa do principal suspeito do crime, que está foragido. A família e moradores seguiram com destino a igreja evangélica frequentada por Ana Sophia, que também integrava o grupo de louvor das crianças. Os manifestantes cantaram hinos e soltaram bolas brancas em homenagem. Ana Sophia entra na cada de principal suspeito e não é mais vista Tiago Fontes é o principal suspeito do desaparecimento de Ana Sophia, em Bananeiras, e está foragido Divulgação A menina Ana Sophia, de 8 anos, teria sido morta por Tiago Fontes Silva Rocha, principal suspeito do desaparecimento dela, em 4 de julho de 2023, dentro da casa dele, no distrito de Roma, em Bananeiras, no Brejo paraibano. A Polícia Civil informou que uma perícia constatou que Ana Sophia entrou na casa de Tiago, no dia do desaparecimento, e não foi mais vista após isso. No dia 21 de setembro, a Justiça decretou a prisão temporária de Tiago, por homicídio qualificado. Ele está sumido desde o dia 11 de setembro, quando seria ouvido mais uma vez pela Polícia Civil. Até então, ele não era apontado como investigado do desaparecimento. Caso Ana Sophia: mãe acredita que suspeito ofereceu algo para enganar e atrair menina até a casa dele A casa de Tiago foi alvo de buscas e apreensões, feitas pela Polícia Civil em agosto de 2023. Conforme os delegados do caso, não há indícios de que o corpo da menina estaria enterrado no local. “Não existe quintal ou terra nua na casa, é tudo coberto por piso, cimento ou concreto, e pela lógica dos fatos, a dinâmica de como tudo aconteceu, acreditamos que a criança foi retirada de lá após ser morta. Não podemos revelar mais que isso para não prejudicar a investigação”, completou Aldrovilli. Polícia confirma que Ana Sophia entrou na casa de suspeito foragido e não saiu mais Cronologia do desaparecimento de Ana Sophia Vídeo mostra Ana Sophia na frente da casa de uma amiga, em Bananeiras Reprodução/TV Cabo Branco Na terça-feira, 4 de julho, por volta das 12h, Ana Sophia pediu à mãe para ir brincar na casa de uma colega, como de costume. A menina de 8 anos era acostumada a andar pelas ruas do pequeno distrito. Ela se despediu por três vezes e saiu usando um vestido azul florido. Ana Sophia foi até a casa da colega, mas não permaneceu por muito tempo, pois a menina estava de saída com a família para Solânea. Uma câmera de segurança registrou Ana Sophia se despedindo da colega e retornando, como se estivesse voltando para casa, no entanto, ela nunca chegou na sua residência. Aquele foi o último registro da criança. A suspeita é de que ela tenha desaparecido nesse trajeto. Casa onde Ana Sophia foi vista pela última vez Silvia Torres/TV Cabo Branco No mesmo dia, a família de Ana Sophia registrou na polícia o desaparecimento, e as buscas começaram no dia seguinte. Na quarta-feira, 5 de julho, a Polícia Civil começou a procurar pela menina, com apoio da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Uma força-tarefa foi montada, e as buscas aconteceram na casa da menina, em imóveis vizinhos, em açudes e nas matas da região. Foram usados cães farejadores, drones, helicóptero, mergulhadores dos Bombeiros e até retroescavadeira para reduzir o volume de um açude. Mandados de busca e apreensão foram cumpridos na quinta-feira, dia 31 de agosto, em imóveis do distrito de Roma, em relação ao desaparecimento da menina Ana Sophia. De acordo com o superintendente da 4ª região da Polícia Civil, Luciano Soares, a ação constitui mais uma fase da força-tarefa investigativa montada para solucionar o desaparecimento. Mais recentemente, Tiago Fontes, o homem que teve a casa vistoriada pela polícia, desapareceu pouco depois das buscas na própria residência. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba
g1 > Paraíba

g1 > Paraíba