Mulher é agredida e baleada pelo ex-companheiro em Lagoa Seca, PB


Vítima foi baleada e agredida com golpes de espingarda na região da cabeça. O suspeito ainda não foi localizado e a vítima está internada no Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande. Hospital de Trauma de Campina Grande João da Paz/Ascom/Divulgação Uma mulher de 20 anos de idade sofreu uma tentativa de feminicídio, quando foi baleada e agredida pelo ex-companheiro que não aceitava o término do relacionamento do casal na segunda-feira (15), em Lagoa Seca, no Agreste da Paraíba. A vítima explicou que as ameaças do ex-companheiro eram recorrentes e que tinha receio em acabar com o relacionamento pois o suspeito ameaçava tirar a vida de outras pessoas da família caso ela o deixasse. “Eu sempre tentava deixar ele, mas ele sempre ameaçava de que se eu deixasse ele me matava. Primeiro, foi ameaçando mainha e meu padrasto, e eu, com medo de perder os dois, sempre voltava”, explicou a mulher. O crime aconteceu na segunda-feira (15), quando a mulher estava em casa, o suspeito chegou na residência dela, armado, e começou a atirar contra a vítima. Quando o suspeito sacou a arma ela correu e caiu em uma ribanceira. Mesmo após a queda, ele continuou a atirar contra a mulher. Além de ter baleado a vítima, o suspeito ainda agrediu a ex-companheira com golpes de espingarda por duas vezes na cabeça da vítima e ainda queria impedir que a irmã da mulher pudesse socorrê-la. “Eu tô aqui por um milagre, eu perdi muito sangue”, relatou a vítima. A vítima da tentativa de feminicídio foi socorrida e encaminhada para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, onde recebeu atendimento na unidade hospitalar e o estado clínico é estável. O suspeito de praticar o crime fugiu e ainda não foi localizado. O superintendente regional da Polícia Civil que investiga o caso, Glauber Fontes, explicou que o caso merece uma atenção especial para capturar o suspeito do crime. “Esse caso requer uma prioridade e merece uma resposta rápida. A Polícia já sabe quem é o suspeito, o ex-companheiro da vítima”, relatou. Diligências estão sendo realizadas para localizar o suspeito e esclarecer o ocorrido. Informações que auxiliem nas investigações podem ser repassadas pelo disque denúncia, número 190 ou 197. O sigilo é garantido. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba
Habilitar notificações    OK Não Obrigado