Novo sítio arqueológico de arte rupestre é encontrado na Paraíba com gravuras de 5 mil anos


Gravuras encontradas são de povos coletores, caçadores e pescadores da pré-história. A descoberta aconteceu no dia 5 de julho, no Sítio Tanques, localizado na zona rural de Frei Martinho Divulgação Mais um sítio arqueológico de arte rupestre foi encontrado na Paraíba. A descoberta aconteceu no dia 5 de julho, no Sítio Tanques, localizado na zona rural de Frei Martinho, Seridó do estado. As gravuras encontradas são de povos coletores, caçadores e pescadores da pré-história e possuem aproximadamente 5 mil anos. Nas imagens, os pesquisadores usaram giz para realçar o local onde estão os achados arqueológicos. O achado é resultado do trabalho da equipe do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia (Labap) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). A próxima etapa é o registro junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), e o sítio será aberto para visitação turística. eEquipe do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia (Labap) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB). Divulgação O paleontólogo e arqueólogo Juvandi de Souza, que está à frente do Labap/UEPB, declarou que, para a arqueologia, o encontro desse novo sítio arqueológico mostra a intensa ocupação do que hoje é a Paraíba no passado. “Mais uma importante fonte de pesquisa sobre a pré-história do estado”, observou. Ao avaliar os dados, o arqueólogo explicou que ainda é cedo para se falar sobre quais povos passaram por aqui e deixaram esses rastros históricos Divulgação De acordo com pesquisador que lidera a equipe, a Paraíba é "um verdadeiro berço arqueológico". “É algo notável. Uma quantidade gigantesca de ocorrências arqueológicas e também paleontológicas das quais, aos poucos, a população vai tomando conhecimento”, disse. Ao avaliar os dados, o arqueólogo explicou que ainda é cedo para se falar sobre quais povos passaram por aqui e deixaram esses rastros históricos. Segundo ele, é preciso encontrar os aldeamentos, realizar escavações para ter uma ideia mais geral sobre esses grupos humanos. Gravuras rupestres na zona rural de Frei Martinho Divulgação Do Sítio Tanques, em Frei Martinho, a equipe realizou um salvamento paleontológico no município de Baraúna, Seridó oriental da Paraíba. O processo foi devidamente autorizado pela Agência Nacional de Mineração. E no final do mês, com pesquisadores da Universidade Federal do Ceará, serão retomadas as atividades de pesquisas em um cemitério indígena no município de Caraúbas. “Pedimos à população que não deprede esses locais. Sítios arqueológicos contam a história do Brasil, aquela que ainda não consta nos livros de história. Em alguns deles, encontramos pichações”, acrescentou o arqueólogo e paleontólogo. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba
Habilitar notificações    OK Não Obrigado