Cinco meses depois, ciclista atropelado em Campina Grande ainda não fala e conversa por mensagens de texto


Bryan Araújo foi atropelado no dia 25 de fevereiro, em Campina Grande. Ele permaneceu na UTI por quase dois meses, teve risco de ficar paraplégico e ainda se recupera das sequelas. Bryan Araújo com a tia Maria Lúcia, em entrevista ao JPB1 Reprodução/TV Paraíba O ciclista Bryan Araújo, de 19 anos, que foi atropelado no dia 25 de fevereiro, quando voltava do trabalho, em Campina Grande, segue se recuperando das sequelas, cinco meses depois. Ele ainda não consegue falar e se comunica apenas por mensagens texto, além de permanecer fazendo o uso de sonda. Bryan voltava do trabalho de bicicleta quando foi atingido por um carro que havia ultrapassado o sinal vermelho. Com a colisão, o ciclista ficou em estado grave, foi intubado e permaneceu na UTI do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande por quase dois meses. Novas imagens mostram detalhes de atropelamento de ciclista, em Campina Grande O ciclista teve o risco de ficar paraplégico, mas voltou a andar. Em reportagem da TV Paraíba, exibida nesta quarta-feira (27), a irmã de Bryan, Gabrielly Araújo, disse que se desloca diariamente para auxiliar os procedimentos da recuperação, pois não moram na mesma casa. “Como eu não moro aqui com eles, todo dia eu me desloco para ajudar”. O motorista responsável pelo acidente, que se apresentou à policia no dia 4 de março, foi autuado por lesão corporal culposa, mas responde em liberdade. Vídeos mais assistidos do g1 Paraíba
Habilitar notificações    OK Não Obrigado